Dicas

3 motivos para você comer mais alimentos orgânicos

Nas últimas décadas houve um crescimento muito grande com relação à preocupação com a saúde, por isso as pessoas começaram a investir numa alimentação mais saudável. Essa mudança de comportamento propiciou o desenvolvimento de novas técnicas de produção na agricultura, que culminaram com a produção de alimentos orgânicos. Apesar de este tipo de alimento ainda soar um pouco estranho para a maioria da população, um número significativo de pessoas no Brasil e também no mundo já descobriram os benefícios de adquirir produtos orgânicos.

alimentos_orgnicos_2

Mas, qual é a diferença entre os alimentos orgânicos e não orgânicos?

 

Ao contrário dos alimentos convencionais, os produtos orgânicos utilizam técnicas específicas, que respeitam o meio ambiente durante todo o seu processo de produção. Além do mais, eles também visam a qualidade do alimento, já que não são usados agrotóxicos nem qualquer outro tipo de produto -como adubos químicos que possam acarretar algum dano à saúde de quem consumir o alimento. Ou seja, eles são obtidos de maneira mais natural, por isso são mais saudáveis e até mais saborosos e nutritivos.

Estudos recentes vêm indicando que produtos orgânicos podem ter maiores quantidades de antioxidantes e ômega-3, substâncias que ajudam a prevenir diversas doenças.

Dentro deste novo conceito, selecionamos 3 razões pelas quais você deveria começar a ingerir mais alimentos orgânicos:

  1. Mais antioxidantes

Os antioxidantes, substâncias capazes de prevenir doenças cardíacas e câncer, ajudam os vegetais a lutarem contra fatores do meio ambiente (como pragas e seca) sem apoiarem-se nos agrotóxicos. Uma pesquisa da Universidade de Newcastle, na Grã-Bretanha, concluiu que alimentos orgânicos têm uma quantidade entre 19% a 69% maior de antioxidantes do que outros produtos.

  1. Mais gorduras saudáveis

Outro estudo da Universidade de Newcastle, este feito em 2016, mostrou que leite e carne orgânicos contêm uma quantidade de ômega-3, que são gorduras saudáveis, cerca de 50% maior do que o tipo comum. E essa é uma vantagem e tanto: o ômega-3 está associado à prevenção de doenças que afetam os sistemas cardiovascular, nervoso e imunológico.

  1. Menos antibióticos

Carne, peixe e leite não orgânicos podem ser fontes com excesso surpreendente de pesticidas e antibióticos. Isso acontece porque as substâncias químicas usadas na ração de animais podem se acumular no tecido de gordura deles. Além disso, é comum que produtores de frango pesem a mão no uso de antibiótico nos animais. Alguns estudos sugerem que a exposição a esses compostos pode fazer com que uma pessoa desenvolve resistência a antibióticos, um problema que já é considerado uma das maiores ameaças à saúde humana pela OMS.

Vale ressaltar que apesar de serem alimentos orgânicos, o cuidado com a higiene deve ser o mesmo que os alimentos convencionais. Ou seja, os alimentos orgânicos crus devem ser bem lavados e em água corrente, pois também há o risco de contaminação por bactérias e coliformes fecais.

Percebe-se nas ideias e atitudes dos consumidores uma reação às transformações alimentares dos últimos tempos. A alimentação moderna vem mudando os hábitos das pessoas com a industrialização de refeições pré-preparadas ou prontas com adição de conservantes, estabilizantes e outros produtos químicos que ao serem consumidos ao longo da vida trarão prejuízos à saúde. Para estes consumidores, o alimento orgânico significa um meio de prevenir doenças, e dessa forma, adquire um valor de garantia e investimento na saúde.

 

 

Você pode gostar...