A diabete é uma doença grave, crônica e muito frequente, que provoca hiperglicemia e resistência à insulina. Nos últimos anos, sua incidência tem aumentando muito na população idosa. Existem dois tipos de diabete: a do tipo 1, que ocorre já na infância e é considerada autoimune, com grande influência genética, e a do tipo 2, que aparece com a idade, comprometendo os mais idosos, sendo explicada em parte pelo desgaste dos órgãos. A diabete pode causar muitas complicações, como insuficiência renal, arteriosclerose e comprometimento ocular, entre outras.

 

Qual a relação da diabete com as rugas?

Sabemos que a pele do diabético é mais seca e que cicatriza com dificuldade. Esses fenômenos estão relacionados com um processo de glicação proteica. Essa glicação ocorre quando uma molécula de glicose (açúcar) adere a uma molécula de proteína e, sem a ajuda de enzimas, forma complexos avançados de glicação, que são chamados AGEs. Essas cadeias, com uma ligação muito forte, entre o açúcar e a proteína, formam complexos permanentes, que endurecem o colágeno (proteína), provocando arteriosclerose, catarata, comprometimento neurológico e também rugas.

A hiperglicemia que ocorre na diabete parece favorecer a formação desses AGEs, que também são formados com o envelhecimento natural. Entre eles estão o sol excessivo, o estresse e a dieta. Se a glicação ficar fora de controle, muitas proteínas vitais serão degradadas e destruídas. A capacidade natural de proteção contra a glicação diminui com a idade e, por isso, os danos são mais intensos nos idosos, principalmente após os 65 anos.

Produzimos AGEs endógenos quando ingerimos alimentos com alto índice glicêmico, ou seja, aqueles que se transformam em glicose rapidamente. Esses alimentos provocam picos de açúcar no sangue, o que resulta em inflamação e produção excessiva de AGEs, tornando esse processo um círculo vicioso.

Os AGEs podem ser produzidos quando cozinhamos proteínas em altas temperaturas, ou também em baixas temperaturas por muito tempo. Grelhas a carne de um churrasco ou caramelizar cebolas, verduras e frituras leva à formação excessiva de AGEs.

Cozinhar batatas ou alimentos ricos em amido pode gerar uma substância tóxica como a acrilamida que, por sua vez, intensifica a ação AGEs.

Além da proteção solar, pessoas com diabete, e também idosas, devem ter cuidados especiais com a dieta para manter a pele mais jovem e com menos rugas.

 

Seguem alimentos que podem ter AGEs excessivos;

– Todos os alimentos cozidos a altas temperaturas.

– Alimentos cozidos a baixas temperaturas por períodos longos, em líquido.

– Carnes na brasa, carnes assadas no fogo.

– Aves: frango e peru assados em rotisserie, deixando a pele dourada.

– Alimentos fritos.

– Nozes e sementes assadas ou torradas.

– Alimentos assados e embalados, de cor marrom-escura acentuada.

– Lanches ou alimentos prontos (batatas chips, pretzeles, etc.)

– Fast-food (a maioria tem gorduras trans).

– Café (tem os grãos torrados até escurecer, o que favorece a formação de AGEs).

– Todos os tipos de refrigerantes, pelo ato teor de frutose e benzoato de sódio, um conservante comum que pode ser cancerígeno.

 

Dicas para uma alimentação mais saudável:

– Dieta leve e balanceada.

– Evitar excesso de carboidratos.

– Evitar gorduras trans.

– Evitar carne grelhada.

– Ingerir 5 porções de frutas por dia.

– Ingerir grande quantidade de legumes e verduras verdes.

– Cozinhar alimentos com água.

– Abusar dos peixes: salmão, sardinha, anchova e atum.

Sempre seguir a instrução do médico especialista em relação a medicações específicas, uso de antioxidantes e vitaminas e até cosméticos adequados. Estão sendo desenvolvidas novas drogas que, no futuro, terão capacidade de neutralizar os AGEs e evitar o envelhecimento precoce.

Urban Defense Glow Primer – Primer iluminador deglicante termal em pérolas

Urban Defense Glow primer é o resultado de uma associação de três tecnologias incríveis para a beleza total da sua pele: sérum facial antiaging deglicante, primer com ação redutora da oleosidade/fixação da maquiagem e exclusivas pérolas de resistividade antipoluição.

Sua composição é rica em água marinha microfiltrada da ilha de Iroise, uma água fisiológica com propriedades remineralizantes para o reequilíbrio hídrico da pele. Caviar e Ácido Hialurônico atuam como vetores especiais para a reposição lipídica epitelial, garantindo uma perfeita combinação no combate ao envelhecimento cutâneo. Os efeitos finais se dão através da blindagem de ação antipoluição (impede a incorporação de agentes ambientais degradando as células epiteliais) e ação antiglicante (complexos deglicantes que impedem a quebra do colágeno).

O resultado? Uma pele jovem que RELUZ!

 

 

Fonte: Cosmetics & Toiletries
Colunista- Dra Denise Steiner – delegada brasileira e coordenadora do Capítulo de Dermatologia Cosmética, do Colégio Ibero Latinoame

Você pode gostar...