Microbioma Cutâneo

A pele humana é rica em microrganismos essenciais para a saúde. Um centímetro quadrado de pele pode conter até um bilhão deles. A maior parte desse microbioma é adquirida no nascimento. A diversidade encontrada no microbioma cutâneo está diretamente relacionada à saúde do indivíduo.

“Crianças nascidas por meio de parto natural tendem a ter a microbiota mais diversificada do que aquelas que nasceram por cesarianas”, comenta Gustavo Facchini, que integra o departamento técnico Skin Vitro do Grupo Kosmoscience. Segundo Facchini, pessoas que têm animais de estimação também têm uma microbiota mais diversa.

 Marco Rocha, dermatologista com doutorado voltado ao estudo da acne, explica que a manutenção da barreira cutânea é fundamental para a preservação do equilíbrio ideal entre as bactérias comensais (que existem numa relação mutuamente simbiótica e benéfica com os humanos, ajudando em várias funções) e patogênicas que existem na pele.

“De maneira ideal, os microrganismos comensais ajudam a reduzir a quantidade de variantes patogênicas, mantêm o pH ideal da pele, fundamental para a defesa inata, e ajudam no desenvolvimento do sistema imunológico, à medida que o ser humano passa pelas diferentes fases da vida”, afirma. A barreira cutânea apresenta funções fundamentais no controle da permeabilidade. “Sempre que há alterações em seu funcionamento, encontramos uma disbiose, isto é, a alteração do microbioma. Nesses casos, a hidratação externa ajuda a restaurar a integridade da barreira e, consequentemente, a reequilibrar o microbioma”, completa.

No artigo “O movimento do microbioma”, publicado na revista Cosmetics & Toiletries Brasil em agosto de 2018, o autor Travis Whitfill destaca que “os exemplos de consequências do relacionamento simbiótico entre os microrganismos e a pele humana incluem um diálogo com o sistema imunológico cutâneo, o estímulo da secreção de peptídeo antimicrobiano, a proteção contra bactérias patogênicas e o estímulo à produção de ceramidas. Todos esses efeitos são benéficos para a pele”. Segundo Whitfill, a complexidade da microbiologia da pele vai além da divisão entre micróbios benéficos ou daninhos. Os microrganismos podem causar benefícios ou ser prejudiciais, dependendo do cenário – uma pele saudável ou comprometida, por exemplo. Variações nas características desse processo também podem ocorrer em função da dinâmica de interação entre microrganismos. “Determinado microrganismo pode ser benigno enquanto estiver isolado, mas pode aumentar sua presença em relação a outros microrganismos, causando uma resposta cutânea”, afirma o autor.

O uso de medicações, como antibióticos orais e tópicos, a idade, o estado de saúde e alguns hábitos cotidianos também interferem na estabilidade da microbiota. “Lavar a pele demais ou com produtos muito abrasivos interfere negativamente nesse equilíbrio. A exposição exagerada à radiação ultravioleta e à poluição gera radicais livres, que agridem o microbioma. Além disso, temos a questão da má alimentação, que gera inflamação no tecido; o estresse, que libera mediadores pró-inflamatórios; privação do sono; e procedimento estéticos agressivos ou realizados sem orientação, entre outros fatores”, menciona o dermatologista Jardis Volpe.

A junção desses aspectos pode resultar em pele seca, estressada e sensível, o que favorece o envelhecimento precoce e colabora para agravar condições como acne, dermatite atópica e psoríase. “Trazer dermocosméticos com probióticos para a equação pode ajudar a reconstruir um ecossistema de pele saudável”, aponta. “Não é preciso lavar a pele facial mais do que duas vezes ao dia. É importante usar hidratantes indicados ao seu tipo de pele, além de aplicar e reaplicar diariamente o filtro solar”, completa.

Facchini ressalta que o equilíbrio do microbioma da pele inibe a proliferação de microrganismos patogênicos “tanto pela competição por habitat quanto por meio da síntese de enzimas tóxicas a esses patógenos”. A Kosmoscience realiza avaliações para a identificação de microrganismos no microbioma cutâneo e mensuração do impacto da formulação cosmética na homeostase da pele (o aumento ou a diminuição do número de cada bactéria ou fungo).

“Após seleção criteriosa de participantes de pesquisa e uso padronizado de produtos investigacionais, realizamos o sequenciamento de RNA (ácido ribonucleico) ribossômico 16s ou 18s e o sequenciamento de DNA (ácido desoxirribonucleico) por Whole Genome Shotgun (WGS)”, comenta. “Adicionalmente, possibilitamos também ao mercado a realização de protocolos clássicos de cultivo e caracterização de microrganismos”, acrescenta.

Para Facchini, a tendência do desenvolvimento de cosméticos para reequilibrar e proteger a flora cutânea deve “revolucionar” os cuidados diários com a pele. Ele acredita que um dos grandes desafios para o setor, “além da criação da própria formulação, será mensurar essa interação de maneira ampla e assertiva, traduzindo os resultados para uma linguagem acessível ao consumidor”.

Rocha destaca que o desafio principal consiste na seletividade dos prebióticos. “Tais composições precisam fortalecer a microbiota comensal sem estimular o desenvolvimento de cepas ou variantes patogênicas”, argumenta.

Além dos prebióticos servirem como alimento para as bactérias boas, incentivam o seu desenvolvimento, combatem os microrganismos ruins, e também protegem e estimulam as defesas da pele, auxiliando na recuperação da proteção imunológica cutânea.

Conheça os dermocosméticos de Adélia Mendonça que contém prebióticos em sua composição:

SUBLIME 24K PREBIO GOMMAGE – gommage prebiótica para peles sensíveis com ouro 24k.

Esfoliante Prebiótico

Esfoliante Prebiótico Funcional Para O Fortalecimento Dérmico De Peles Sensíveis

Esfoliante de fortificação dérmica, desenvolvido para tornar a pele sensível profundamente limpa, radiante e macia, de forma delicada. Com efeito deep sensitive peeling em ouro 24K, nanovitamina C, extrato de Cucumis e ativos prebióticos, remove as células mortas garantindo um efeito iluminador imediato e progressivo. Com alto poder rejuvenescedor, reduz o surgimento de rugas e linhas finas. Seus polissacarídeos encapsulados em nanomatriz de celulose são liberados de forma contínua na pele, atuando com um poderoso suplemento alimentar prebiótico para o fortalecimento epitelial, aumentando os mecanismos de defesa dérmicos e tornando a pele mais resistente as agressões ambientais e fotodanos estabelecidos. Este produto compõe a linha Sublime 24k, produzido com ouro 24K puro; extraído em jazidas na Alemanha. (Produto de uso profissional)

PREBIO SYSTEM INTENSIFIER PEELPeeling Prebiótico Renovador Celular com Ouro 24k

Peeling químico

Peeling químico e enzimático fotodinâmico de fortificação dérmica, que agrega a esfoliação química dos ácidos glicólico, dicloroacético e pirúvico, à esfoliação enzimática, pelas propriedades da Papaína. Associados ao ouro 24k e a ativos prebióticos, removem as células mortas, garantindo um efeito iluminador imediato e progressivo. Sua ação prebiótica para o fortalecimento epitelial promove uma abordagem diferenciada para uma harmonia saudável da pele com o ecossistema microbiano, mantendo a hidratação e reparação. Apresenta em sua composição funcionalidade do receptor de vitamina D, atuando na expressão de genes que são afetados durante a exposição da luz visível. Este produto compõe a linha Sublime 24k, produzido com ouro 24K puro; extraído em jazidas na Alemanha. (Produto de uso profissional)

Volpe lembra que o reequilíbrio da flora cutânea colabora para uma pele menos reativa. “Pessoas com pele sensível se beneficiam muito de dermocosméticos com probióticos, já que eles reconstroem e fortalecem a barreira da pele. O mesmo acontece com os pacientes com acne, que conseguem ver melhora no tamanho da lesão e na vermelhidão da pele”, afirma.

Fonte: Cosmetics Online

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *