Nutracêuticos – substâncias bioativas que alimentam e previnem doenças

Foi-se o tempo em que a função alimentar restringia-se a suprir as necessidades nutricionais do organismo e satisfazer o paladar. Frutas, verduras, legumes, peixes e até certos temperos somam a estas características um atrativo extra: o poder de prevenção, controle e combate de algumas doenças.

Os alimentos funcionais ou nutracêuticos, são aqueles que reúnem substâncias bioativas, componentes que exercem influência positiva sobre o organismo. Eles se dividem em categorias.

  • Além daqueles que contêm naturalmente substâncias comprovadamente proveitosas – betacaroteno, licopeno, isoflavonas, flavonoides, e outros;
  • Há os que foram aprimorados em relação a seus similares, como por exemplo as hortaliças sem agrotóxicos;
  • Os processados que sofrem algum tipo de modificação, como a redução dos teores de gorduras;
  • Os que tiveram ingredientes especificamente incorporados, como o pão acrescentado de fibras e aqueles produzidos por biotecnologia ou métodos diferenciados, como os ovos enriquecidos com ácido ômega-3.

Nutricionistas dizem que os benefícios destes alimentos vem sendo demostrados em vários estudos científicos, que associam seu efeito à prevenção de diversas doenças crônico-degenerativas. Não há dúvidas de que determinados males que assolam os países desenvolvidos como doenças cardiovasculares, obesidade, diabetes, hipertensão e câncer estão associados à dieta. Mas ainda não podemos traçar uma relação de causa e efeito definitiva.

Outras doenças como osteoporose, disfunção intestinal e artrite também parecem ser possíveis de ser tratadas e prevenidas com os alimentos funcionais.

Para aumentar as defesas do organismo

Alimentos que podem ser úteis como anti-inflamatórios, diminuindo a dor de articulações, estão sendo atualmente investigados. Alguns exemplos são a pimenta vermelha, que traz a capsaicina em sua composição; peixes- como salmão, atum, cavalinha e arenque, constituídos de ômega-3 e óleo de oliva, rico em ômega-9. Outros estudos estabelecem relações entre o manganês, o boro e as fibras (contidos em alimentos) e a prevenção de doenças.

  • O manganês – encontrado, por exemplo, no abacaxi, farinha de aveia e nozes – está envolvido no metabolismo ósseo, prevenindo a osteoporose.
  • O boro, presente em frutas e hortaliças, pode suprir uma deficiência verificada em mulheres na pós menopausa e minimizar as baixas concentrações de cálcio comuns neste período.
  • As fibras insolúveis (elementos do farelo de trigo, mamão, laranja e ameixa) aceleram o trânsito intestinal e promovem o aumento do bolo fecal.
  • As fibras solúveis (farelo de aveia, feijão, lentilha e outros) retardam o tempo de trânsito intestinal, diminuindo o esvaziamento gástrico.

Foi nos anos 60, quando surgiram os primeiros estudos demonstrando o efeito negativo de certos alimentos para o organismo, que as pesquisas na área tomaram impulso. A partir daí, novidades relacionadas ao impacto positivo ou negativo dos alimentos sobre a saúde começaram a ser regularmente divulgadas. Na década de 80, produtos com baixo valor calórico e isentos de gordura conquistaram o mercado mundial.

Atualmente, a demanda é por alimentos que, além de não fazerem mal, cumprem funções terapêuticas e medicamentosas.

Há bastante tempo, sabe-se que a soja é uma boa fonte de proteínas e de outros nutrientes. Pesquisas mostram que as isoflavonas presentes em sua constituição beneficiam a saúde também a longo prazo, reduzindo o risco de incidência de algumas doenças cardiovasculares e até mesmo do câncer de mama. A aveia é outro exemplo de alimento funcional natural. Rica em fibras solúveis, ela contribui para o melhor funcionamento intestinal e ajuda a reduzir os níveis de colesterol no sangue.

O azeite de oliva, a berinjela e as frutas críticas contêm ácido fenólico, que aumenta a atividade enzimática e a absorção de nutrientes, além de inibir a formação de nitrosaminas (substâncias cancerígenas).

O tomate, a goiaba e a melancia são muito ricos em licopeno, pigmento com ação antioxidante que previne o câncer de próstata.

A quercentina, presente na casca de uva e nos vinhos branco e tinto, dificulta a mutação celular e a formação de carcinógenos, coágulos e inflamações.

O açafrão e o cominho têm, através da curcumina, a propriedade de proteger o organismo dos agentes cancerígenos produzidos pela nicotina do cigarro.

 

Alimentos funcionais e suas propriedades

Veja como eles podem contribuir para a saúde

ALIMENTOS COMPONETE ATIVO PROPRIEDADES
Azeite de oliva, berinjela, brócolis, cenoura, chás, cítricos, grãos, morango, pimenta, repolho, salsinha verde, tomate e uva  

Ácido fenólico

Aumento da atividade enzimática e da absorção de nutrientes; inibição da formação de nitrosaminas
Linhaça, óleo de canola, peixes de águas frias com alto teor de gordura e nozes  

Ácidos graxos

Ômega 3 e 6

Aumento da defesa do organismo e inibição da produção de estrogênio (hormônio sexual feminino)
Frutas e verduras Bioflavonóides Ação antioxidante
Chá verde e preto, morango

e uva

Catequinas Ação antioxidante e prevenção de doenças cardiovasculares
Açafrão e cominho  

Curcumina

Proteção contra os agentes cancerígenos do cigarro
Legumes da família das crucíferas (brócolis, repolho, couve e couve-flor)  

Genesteína

Inibição do aparecimento e crescimento de tumores
Brócolis, repolho, couve e couve-flor, e folha de mostarda  

Indol

Aumento da ação das enzimas protetoras contra o câncer
Leguminosas (soja, feijão, amendoim, ervilha, lentilha, grão-de-bico, fava)  

Isoflavonas

Redução das enzimas carcinogêncicas e dos efeitos da menopausa
Rábano, mostarda e rabanete  

Isotiocianato

Estímulo à produção de enzimas protetoras do organismo e inibição da ação dos radicais livres
Tomate, goiaba e melancia  

Licopeno

Pigmento com ação antioxidante, protege contra o câncer de próstata
Frutas cítricas (laranja, lima, tangerina, limão e grapefruit)  

Limonóides e terpenos

Estimula as enzimas que protegem contar o câncer e ajuda na redução da taxa de colesterol
Manjericão, cítricos e brócolis Monterpenos Ação antioxidante e auxílio à atividade de enzimas protetoras
Casca de uva, vinho tinto e branco  

Quercentina

Inibia a mutação celular e a formação de carcinógenos, coágulos e inflamações
Alho e cebola  

Sulfetos alílicos

Estímulo à produção de enzimas protetoras e inibição do aparecimento de doenças cardiovasculares

 

Mas vale salientar que os alimentos considerados nutracêuticos não têm efeito mágico. Especialistas consideram que não haver alimentos bons ou ruins, mas sim dietas boas e ruins. Uma dieta saudável e rica em alimentos funcionais baseia-se na ingestão de hortaliças e frutas diariamente, no consumo de pouca gordura saturada proveniente de alimentos de origem animal e na ingestão semanal de duas a três porções de peixe e nozes. Além disso, a dieta é somente um componente de um estilo de ida que pode causar impacto positivo sobre a saúde. Outros fatores são a prática regular de atividades físicas, o controle do estresse e a abstinência em relação ao tabagismo.

Só depende de nós optar por um estilo de vida mais saudável.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *